Pegadas de Jesus

Pegadas de Jesus

sexta-feira, 20 de janeiro de 2012

TEMPESTADE NUM COPO D' ÁGUA

Imagem do Google

Olá, amigos e amigas!

Que alegria vê-los aqui!

Depois de uma semana intensa de trabalho, sem que me sobrasse sequer um tempinho pra vir aqui, e portanto sem que pudesse visitá-los também (são os ossos do ofício), eis-me de volta. E torço para que a próxima semana seja mais amena, e que possa estar mais livre, para interagir com todos. Obrigada pelo carinho e atenção de sempre.

E agora, trago-vos uma historinha baseada em fatos reais, vamos ler?

Conhecer a sogra é sempre uma grande expectativa. É como se estivéssemos adentrando um terreno delicado, um campo minado. Afinal, estamos dividindo com ela o amor de seu filho, e algumas, confundem dividir com subtrair. A ansiedade nos assalta, só de imaginar qual será a receptividade. E cada uma das partes, tanto a sogra quanto a nora, se sente constrangida, no momento da apresentação, cada uma procurando dar o melhor de si, tentando evitar gafes e micos, que poderiam comprometer seriamente a relação.
E foi assim, que Sara conheceu dona Elisa. Porém, entre elas houve certa empatia, e Sara até se sentiu à vontade para dormir lá, naquela primeira noite, por um justificável motivo.

À hora de se recolher, Sara pediu a dona Elisa um copo para colocar suas lentes de contato, tendo em vista a conservação e limpeza das mesmas. Dona Elisa indicou-lhe onde encontrar o copo, e disse-lhe para colocar em cima da geladeira, para evitar qualquer tipo de acidente com as mesmas.

Na manhã seguinte, quando dona Elisa já havia preparado o café, e iniciado umas tantas atividades domésticas, Sara se levantou. Procurou, de imediato, o copo onde havia deixado suas lentes, e não o encontrando, reportou-se a dona Elisa.

A sogra perguntou-lhe onde o havia deixado, ao que Sara respondeu: deixei-o bem aqui, ao lado do filtro, mas já procurei em todos os lugares possíveis, e não consigo encontrar. E dona Elisa, entre pasma e desesperada, colocou a mão na cabeça, sentou-se, e perguntou: ao lado do filtro? – É, respondeu Sara. – Pois então eu bebi, disse dona Elisa, com olhos arregalados. Levantei de madrugada para tomar água, e usei o copo que estava bem aí – apontando para o local em que a nora deixara o bendito copo com as lentes.

E ficaram se olhando por instantes que pareceram eternidade. Pasmas e mudas olhavam uma para a outra sem saber o que dizer. Dona Elisa desejou que o chão se abrisse e a engolisse naquela hora, e Sara desconcertada, apenas balbuciou a cifra que pagara pelas lentes, que acabara de comprar.

Sogra, é sempre uma caixinha de surpresas (ou de lentes), hein? kkkk

Bem, não sei ainda qual o desfecho dessa história, mas quando souber, prometo que lhes conto tudinho.

18 comentários:

✿ chica disse...

rsssssssssssssssss...ficou engraçada pra LER e não pra VIVER,rsrs Credo,que primeiro contato,né?rs beijos praianos,chica

Celena disse...

Olá querida Socorro, ai ai ai Sogras... sem comentários!!kkkkk que bom que gostou da minha cantoneira...obrigada pelo carinho...bjocas.

Claudia disse...

Rsrsrsrssss...cada um com a sua, e eu que tenho 2 filhos homens, 2 X Sogra...eheheheh bjs e bom fim de semana!

O Universo dos Pensamentos disse...

Olá, boa tarde Socorro, é sempre um prazer lê-la, bem como receber suas graciosas visitas no meu blog.

Estou torcendo aqui pela Sara.

Bjos minha linda.

Néia Lambert disse...

Socorro, a história seria cômica se não fosse trágica! rsrs, que coisa!

Bom fim de semana para você, beijos.

Mônica - Sacerdotisa da Deusa disse...

Socorro minha linda flor kkk me matei de rir agora kkk, amei isso rsrsrs...ai ai por Deus que agonia kkkk.
Beijinhos minha querida e um lindo final de semana pra vc.

Flores e Luz.

She disse...

hahahahaha muito bom e a foto está sensacional!
Beijo, beijooo
She

Jaque disse...

Haha hilária a história! Mas também, isso é lugar de deixar a lente :P
Lembro-me até hoje a primeira vez que falei com minha sogra. Já sabia que nos daríamos bem naquele momento :)

E aqui também está corrido Socorro. O trabalho está demais e quase não tenho tempo pra retribuir o carinho, mas é normal né...

BeijO!

Luma Rosa disse...

Vai dizer que a sogra enfiou o dedo na garganta?! kkkkkkkkkk Só pode!!
Bom fim de semana! Beijus,

pensandoemfamilia disse...

Oi querida
Voltando aos poucos, passei para saudá-la e dei boas risada. rs.rs.
Bjs,

Alexandre Mauj Imamura Gonzalez disse...

ahahahha
as lombrigas da sogra vão enxergar bem como nunca hahaha
gostei da historia!!!

boa semana!

Misturação - Ana Karla disse...

Coitada de Sara, ou seria da Dona Elisa?
É engraçado, mas há situações difíceis mesmo como essa.
Boa semana
Xeros

Toninhobira disse...

Prefiro nao comentar,mas vou falar.Há que se ter muito tato e arte.
Mas fala sério Socorro, isto na foi com voce?kkkkkk
Um abração amiga e que a semana seja de paz, leve e muita luz.

Lúcia Bezerra de Paiva disse...

Meu primeiro contato com a minha sogra, não foi nada bom. Esse, da Sara com a Elisa, foi mesmo "um espanto", mas o melhor é a curiosidade para conhecer o desfecho.
Como sempre, você nos prende, Socorro, nos seus interessantes escritos...MUITO BOM!!!

XÊRO,
da Lúcia

Socorro Melo disse...

Oi, amigos e amigas!

Essa foi muito boa, kkk, que situação! Tadinha da dona Elisa, gente!
Quanto a Sara,concordo com a Jaque, isso é lugar de se deixar as lentes?

Toninho, amigo, essa não foi comigo não viu? lhe garanto, pois nem uso lentes. kkkkk

Gostei Alexandre! Lombriga de lente, hein? kkkkkkk

Luma, kkkk, será???

Beijão a todos, e a cada um em particular.

Paz e Bem!
Socorro Melo

Élys disse...

Uma situação difícil, realmente, mas deixar as lentes em um copo perto de um filtro...Um abraço.

ELAINE disse...

Fiquei muito feliz com teu comentário!A amizade não tem preço!Viu o selo do coração amigo? Não vai participar? Por uma internet mais humana, e mais amor entre blogs! Leve o seu! Divulgue!Muito obrigada pelo carinho! Nunca lembre de me esquecer! Volta sempre que quiseres e/ou puderes! Abraço fraterno e carinhoso!
Elaine Averbuch Neves
http://elaine-dedentroprafora.blogspot.com/

Elisa T. Campos disse...

Tanto o fato acontecido cam a Sara e a Dona Elisa e a sua história em contá-la é uma grande caixinha de surpresa. Adorei.

Bjs