Pegadas de Jesus

Pegadas de Jesus

sexta-feira, 21 de setembro de 2012

O MEU CANTEIRO


Eu me encontrava recolhida, em repouso, cuidando da saúde... Isolei-me do mundo lá fora, e por dias, o meu mundo era a minha casa.

Enquanto me restabelecia, procurava fazer algo agradável, e devorava incansavelmente páginas e páginas dos meus velhos companheiros, os livros. Afora isso, também me deleitava com o meu canteiro.

O meu canteiro é bem minúsculo, e na verdade, não sou eu que cuido dele. Não tenho muita habilidade para cuidar de plantas. Vez ou outra, eu apenas molho as plantas, quando é necessário, mas é só isso. Porém, as plantas, exercem sobre mim um fascínio muito grande, e as aprecio com grande ternura.

Eu me aproximava do canteiro, todos os dias, e olhava com carinho e prazer, cada uma das espécies: o pé de alecrim, que exala um perfume inebriante, e as verbenas vermelhas, que dão um toque todo especial àquele cantinho. Lá, há também duas espécies de cróton, e três pequeníssimos pés de rosas, que aguardo com muita ansiedade o seu crescimento. As cores dessas rosas são das mais lindas que já vi.

Fiquei a imaginar, porque as sementes de girassol não brotaram... Se até mesmo o pezinho de hortênsias, se ergueu tão viçoso...

Num belo dia, em que o canteirinho estava banhado por uma luz bem clara, ouvi um barulhinho que me chamou a atenção, e para minha surpresa, vi um bem te vi, batendo as asas e sugando o néctar das minhas verbenas. Que cena linda! Parecia um ritual, uma dança... Fiquei tão feliz com aquela visita.

Apareceram por lá também, naqueles dias, um jovem passarinho e sua mãe. O jovem estava tendo suas primeiras aulas de vôo, assessorado por ela. Enquanto ele se exercitava, perto do canteiro, ela ia e vinha, dava vôos rasantes, e, vez em quando, punha algo no bico do filho. Ele batia as asas, e levantava pequenos vôos, com uma dificuldade tremenda, que era bem perceptível. Mas, ao cabo de três dias, se lançou no espaço, bateu asas e voou para longe. Ademais, a minha casa, já pode ser até considerada um centro de treinamento de passarinhos, pois, é comum aparecem por lá os jovens treinandos.

O dia todo, do nascer ao pôr do sol, os passarinhos fazem festa por lá: sobrevoam, pousam no telhado, nos fios, cantorolam, saltitam, e passeiam no canteiro.

Cada uma dessas visitas, cada um desses seres, passam e deixam suas marcas. E me pus a pensar em quantas lições de vida nos dá a natureza. Não é preciso que tenhamos um grande jardim, pois um pequeno canteiro também nos enche de beleza e nos proporciona grandes reflexões.

No meu canteiro, eu pude, e posso, ver o reflexo do sol sobre as plantas orvalhadas, posso ver a melancolia da chuva se derramar sobre ele, posso ver a agitação dos passarinhos, as borboletas amarelas, e o beija-flor, beijando alegremente as rubras pétalas das minhas verbenas. À noite, quando se faz silêncio, e todos os bichinhos do canteiro dormem, posso ver o manto azul do céu, bordado de estrelas, cobrindo serenamente aquele cantinho, e um anjo de asas prateadas velando por ele. Por que será que a natureza nos proporciona tanta serenidade? Penso que sei: porque em todas as coisas criadas, por trás delas, existe a marca, a presença, do Grande Espírito criador.

Por Socorro Melo

14 comentários:

Sonia disse...

Linda sua postagem!! Adoro plantas e pássaros. Acompanhei durante dois a nos uma família de bem te vis que fizeram ninho numa árvore próxima à janela do meu quarto, infelizmente a árvore foi abatida para a construção de um prédio e perdi o contato com meus bem te vis. A Natureza é realmente uma dádiva!!

Luma Rosa disse...

Que bela narrativa!! As plantas sentem o nosso sentimento, por isso dizem de alguém ter mão boa ou não. Não que a pessoa seja má, mas que o seu coração tenha uma espécie de mágoa que não a deixa ver a beleza dos dias - ou a beleza das flores, dos passarinhos... da vida que segue magestosa por ser simplesmente obra divina!!
Saio encantada e com outros olhos; não vou mais brigar com os bem-te-vis gritando às 6hs da manhã debaixo da minha janela :)
Ah, coloquei no post atual do luz, um link direcionado para o seu livro de crônicas.
Bom fim de semana!! Beijus,

Socorro Melo disse...

Oi, Luma!

Obrigada, querida, por sua gentileza. Quero fazer só uma correção: o livro de crônicas, não são crônicas só minhas, mas de todas as pessoas que foram selecionadas no concurso, viu!

Ah, por vezes me dá vontade de ralhar com os pardais, pois, fazem tanto alvoroço, e tão cedo cedo da manhã, que é uma coisa séria, mas, quando os ouço no meu despertar, perco a coragem, encantada pelos seus cantos, rsrs

Valeu pela divulgação do livro.

Beijos
Socorro Melo

pensandoemfamilia disse...

Oi Socorro, este canteiro é a expressão do seu olhar.
Lindo seu texto.
Bjs
Bom final de semana
bjs

Bel Rech disse...

A natureza sempre nos presenteia com seu colorido abundante e suas criaturas iluminadas...
Paz e bem

RioSul disse...

Olá amiga
Agradeço sua visita em meu site e vim até o seu respirar paz e espiritualidade
tenho um mosaico de amigos em meu site, esteja a vontade de querer fazer parte dele ou não, seria bem vinda

Abraços,
RioSul

She disse...

Que lindo, minha querida, que lindo!
Beijo, beijo!
She

Sissym disse...

Socorro, isso é tão bo-ni-to!!!!
Eu imaginei cenas, inclusive a luz do sol nas plantas orvalhadas, e a vida exuberante! Se olhamos ao redor com carinho, podemos sim sentir a presença do nosso Criador.

Bom domingo.

Bjs

Flor de Lótus disse...

Olá,Socorro!Td bem?Saudade de vir aqui.O assunto dos nossos últimos posts são bem parecidos, eu dia desses caminhando pela rua me peguei pensando em Deus e como a natureza é simples e sábia, me encantei numa borboleta laranja polinizando uma flor e dai saiu um texto.Realmente a natureza tem muito a nos ensinar basta que estejanmos atentos e dispostos a aprender.
Um ótimo começo de semana!
Beijosss

Claudia disse...

Minha querida! como é bom poder olhar o "nosso canteiro" e oservar tudoo que ele tem para nos ensinar...que a vida brota, cresce e desaparece, mas que durante este período é necessário nos cuidadrmos do nosso jardim, adubando, regando e agradecendo por esta energia maravilhosa que Deus nós dá...beijos e boa semana!

Lúcia Bezerra de Paiva disse...

Olá, Socorro!
Há alguns dias tive dificuldades em postar comentários...Havia lido seu post anterior. Hoje retorno, relendo o texto do susto/alívio, e depois essa belíssima crônica, que bem demonstra a sua força, perseverança, imensa Fé, em Deus e em você própria. É assim, passamos por verdadeiras "provas de fogo", até parece que estamos sendo testados.

Você é uma criatura admirável,um grande exemplo de vida.
Muita paz, sempre! um abraço,
da Lúcia

Elisa T. Campos disse...

Olá Socorro

Me encantei com o seu texto falando do seu jardim. A natureza nos dá muitas lições todos os dias. Tenho também um pequeno jardim como o seu e a cada dia me surprendo com as flores e alguns frutos que nascem atraindo diversas aves.
Também é um habitat dos sabiás, cambacicas e muitos outros passarinhos que fazem ninhos, principalmente num velho pé de uvaia.
Muitas das minhas fotos eu as tiro aqui.
E como você bem disse proporciona muita serenidade existindo por trás certamente a presença do grande Criador.

Muita luz para você
Beijos.

Néia Lambert disse...

Socorro, os que têm olhos guiados pela sensibilidade percebem a presença de Deus de maneira ainda mais forte na natureza. Lindo texto!

Beijos

Luma Rosa disse...

Eu sei, Socorro! Mas quando digo que o livro é seu, é para frisar que sem a sua existência eu não saberia do livro. Para mim o livro é mais seu e para outro autor, o livro pode ser mais dele. Tudo é questão de ponto de vista. Mas no blogue, fiz a chamada direitinho, dizendo dos outros participantes. Beijus,