Pegadas de Jesus

Pegadas de Jesus

terça-feira, 18 de setembro de 2012

UM GRANDE SUSTO... E QUE ALÍVIO!

“Nada temas, porque estou contigo. Não lances olhares desesperados, pois eu sou teu Deus; eu te fortaleço, e venho em teu socorro, eu te amparo com a minha destra vitoriosa”. Isaías 41,10.


Você já se fez esta pergunta: por que comigo tem que ser diferente? Eu, sim, algumas vezes. E agora muito recentemente, conforme o relato que exponho abaixo.

Quem passa por aqui sabe, que dias atrás me submeti a uma cirurgia, para retirada da vesícula biliar: uma colescistectomia. A colescistectomia é um procedimento simples, de porte, mas simples, porém, no meu caso, houve algumas particularidades específicas.

O que eu sentia? Queimação moderada. Típica de gastrite. Fui ao médico, me foi solicitada uma bateria de exames, e entre eles, Endoscopia e Ultra-sonografia. A Endoscopia não acusou nada, nenhuma gastrite, porém, a Ultra-sonografia deu início a um processo de investigação, de grande tensão e medo.

Durante a realização do exame (Ultra-sonografia), o médico fez um espanto, que me deixou amedrontada. A minha vesícula apresentava alguma coisa estranha, e o diagnóstico foi nebuloso. Ele, porém, me preveniu de que era um caso cirúrgico.

Dias depois, quando levei o resultado do exame para o médico que o solicitou, o gastroenterologista, vi uma incógnita nos olhos dele. Perguntei do que se tratava, e ele me disse que estava muito nebulosa a imagem, e sem diagnóstico preciso. Pediu uma Ressonância Magnética. Questionei se era algo comum, e ele me disse que, em toda sua vida de médico, havia visto coisa parecida apenas três vezes. Não tive coragem de perguntar quantos sobreviveram.

Fiz a Ressonância solicitada, e a coisa se complicou um pouco mais. A imagem agora apresentava uma protuberância sugestiva de tumor. Atemorizada, consultei um outro médico, na tentativa de ouvir algo mais acalentador, que dissipasse meu nervosismo, no entanto, ocorreu o inverso.

O médico, o segundo que procurei, à medida que lia o laudo da Ressonância, deixava transparecer no semblante, certa inquietação. Franzia a testa, tornava-se mais sério, até que me sugeriu consultar um cirurgião oncológico. Pronto, é o fim, pensei. Por fim, vendo-me em estado de choque, e desacompanhada, falou que a medicina tem muitos erros, e que eu confiasse em Deus, e etc. etc. Saí arrasada, e perambulei pelas ruas sob forte emoção, e com lágrimas nos olhos.

Instintivamente, resolvi consultar um novo médico, na capital, pois moro no interior, e acatei a sugestão dada, marquei com um cirurgião oncológico. Quatro dias depois, estava diante do novo médico: cheia de medo e expectativas. Ele examinou os exames, e solicitou uma nova Ultra-sonografia, indicando um profissional de sua confiança. Achou estranho o resultado dos exames que apresentei (Ultra-sonografia e Ressonância Magnética), e disse que estavam falando “linguagens diferentes”.

O fato de eu não sentir dores, náuseas, vômitos, intrigava os médicos. Eu não sentia nada, a não ser o leve queimor. Minha lesão era diferente do normal. Era atípica.

Quando fiz a nova Ultra-sonografia, senti certo alívio, pois o médico que a realizou disse não ver nada demais, apenas formação de cálculos e uma grande inflamação.

Fiz mais alguns exames, de sangue (CA 125, CA 19.9 e CAE), e para o meu grande alívio, os resultados foram negativos, foram bons.

Marcada a cirurgia, o médico cirurgião ainda me dizia que meu caso não tinha diagnóstico e que só a biópsia poria um fim à situação. Além do exame histopatológico, foi solicitada uma biópsia de congelação, em que o patologista faz na hora o estudo da peça e já adianta se se trata de malignidade ou não. Por causa dessa “biópsia de congelação” a cirurgia foi realizada no método convencional, e não por vídeo-laparoscopia.

Em agosto me submeti à cirurgia, e para minha grande alegria, a nebulosidade, a sugestão de nódulo, era apenas cristais de colesterol, ou seja, nada atípico, completamente normal. Que alívio!

Por que comigo tinha que ser diferente? Porque, sem dúvidas, eu precisava aprender alguma coisa... Precisava parar para refletir sobre mim mesma, e meu relacionamento com Deus e com o meu semelhante... Precisava subir mais um degrau na escada da fé... Precisava me lançar nos braços de Deus... E assim o fiz.

Foi um grande combate. E o que mais me consola, é não ter me desesperado, mas, apesar do medo, ter me confiado nas mãos de Deus, e ter sentido a sua presença misericordiosa me dando forças e coragem. Por isso, a minha eterna gratidão a Ele que é, que foi e que sempre será, a minha segurança, o meu Deus, o meu tudo. Obrigada, Senhor!


“Sem crise não há desafios, sem desafios, a vida é uma rotina, uma lenta agonia. Sem crise não há mérito. É na crise que se aflora o melhor de cada um”. Albert Einstein


17 comentários:

✿ chica disse...

Puxa, que susto mesmo!! Ainda bem podemos comemorar,não? Graças!!! beijos,tudo de bom, fica bem!chica

Élys disse...

É, Deus está sempre com suas mãos sobre nós. Ele nunca falha.
Fico feliz em ver que tudo se normaliza.
Um grande abraço.
Élys.

Claudia disse...

Minha querida! Ele nos manda cada lição, que às vezes a gente acha que não vai conseguir...mas o tempo passa, a gente resolve e ainda por cima fica melhor...acho que um dia vamos entender todas estas provações...no momento tenho certeza que a nossa função é trabalho e paciência! lembro sempre, TUDO PASSA! beijos no teu coração...

pensandoemfamilia disse...

Vamos comemorar os bons resultados, Que alivio, não é mesmo?
Estava muito querendo saber de vc.Sua fé ajudou certamente a não desesperar.
bjs

Toninhobira disse...

É amiga,as vezes somos levados aos porões escuros e encontramos as mãos de Deus e tudo passa ficar mais claro.Um susto,mas que não abalou a fé.Se veio é porque suportaria e agora vamos sorrir para a vida.
Um carinhoso abraço de minha admiração.

Imac by Artes disse...

Que lindo depoimento amiga!
Temos um Deus tremendamente bom e fiel que cuida de nós com muito amor. Não precisamos temer porque ELE está conosco, nos fortalece e vem em nosso socorro é só confiarmos.
Estou muito feliz por ti!
Abraços! Boa noite e um amanhã abençoado.

Lúcia Soares disse...

Socorro, que bom que tudo acabou bem. Imagino sua angústia. Vou entrar numa bateria de exames (anuais) e espero que tudo esteja bem. Ando sentinho umas dorzinhas incômodas, tipo cólicas. Mas até o ano passado, as ultrassonografias foram boas. Deus fica no comando de nossas vidas e ai de nós se Nele não confiarmos!
Que bom que você está bem.
Beijo!

xunandinha disse...

Minha querida amiga que sufoco,eu sei o que é andar de um lado para outro fazer exames as dores continuarem e aos 5o anos dizem que sofro de fibromialgia e desde os 23 anos que me queixo,assim como se vai fazendo RX e nada e de repente o ortopedista ciúrgico diz que tem a coluna cheia de artozes e as mãos e joelhos,parece que surgiu tudo assim do nada.
Fico feliz por recuperares e não ser algo mais complexo
que o anjo da guarda te guarde de noite e de dia.
Sei que gostas de ouvir a minha filhota tocar assim que ouver audição eu gravo e coloco no blogue ,o pior é quando é em grandes espaços não deizam,beijinhos e melhoras.

Silvia Vilela disse...

Entrei através do blog da Claudia e fiquei encantada com o seu relato, parabéns pela sua fé,e vc é uma vencedora, adorei estar aqui, beijos.

Lina disse...

Que susto mesmo! Acho que você foi muito corajosa e confiou em Deus!
Também tenho cálculos na vesícula e tenho de estar em alerta, até hoje não tive nenhum sintoma, foi diagnosticado numa ecografia de rotina. Pelos vistos é muito comum, pelo menos em mulheres com mais de 40 anos...
Que bom que correu tudo bem!
Muitos beijinhos

ELAINE disse...

Socorro querida! Que sacudidela, hein?.... Mas graças a Deus que já está tudo bem... Que Deus te ilumine sempre! Um abençoado e feliz final de semana! Tem post novo!
Abraço carinhoso!
Elaine Averbuch Neves
http://elaine-dedentroprafora.blogspot.com.br/

Beth/Lilás disse...

Ôh querida amiga, que susto terrível!
Eu fui lendo e abrindo mais os olhos, já ando tão temerosa de coisas ruins comigo ou com amigos, fico desorientada quando ouço alguém contar que está mal, doente ou não tem jeito.
Ainda bem que tudo correu a bom termo, é tão simples a cirurgia de vesícula hoje em dia, embora eu também tenha feito a minha há mais de 25 anos e foi daquelas tradicionais com corte e tudo.
Sua coragem e fé conduziram para o melhor, podes crer.
Fico feliz por ti e agora mais ainda quando leio abaixo que ganhastes um prêmio literário.
Você bem merece, escreve divinamente, sou sua fã e aguardo uma poesia bem bonita para eu declamar lá no MeandYou, quando fizer me avise, ok.
Tudo de bom em sua vida!
beijos cariocas



Silenciosamente ouvindo... disse...

É bom sentir a presença de Deus.
Um texto que muitas pessoas deviam
ler e reflectir.
Beijinhos
Irene Alves

Anne Lieri disse...

Socorro,que bom que nada de grave aconteceu!Fico feliz e sei que tem Deus nessa historia,com certeza!...rss...bjs e meu carinho,

Socorro Melo disse...

Olá, amigos e amigas!


Fico feliz com a presença de vocês. Agradeço o carinho de suas palavras.
É confortável saber que não estamos ao léu, e que um SER forte e poderoso cuida de nós. Que Ele os abençoe.

Beijos
Socorro Melo

Gina disse...

Socorro,
É um grande consolo acreditar. Ainda que tenhamos nossos dias de sofrimento, podemos sair fortalecidas. Ainda bem que o fardo foi mais leve do que o imaginado.
Também ando cuidando da saúde.
Bom final de semana!

Elisa T. Campos disse...

Oi Socorro.
Que alívio. A sua fé é inabalável. Seu texto tão bem descrito me emocionou.
Me deu grande esperança por uma grande amiga que está internada há 3 dias na UTI. Até ontem não reconhecia ninguém e ninguém podia entrar. Mas hoje a visita foi liberada e pude conversar com ela.
Voltei muito esperançosa com a recuperação.
Dias de muita luz para você.

Beijos