Pegadas de Jesus

Pegadas de Jesus

segunda-feira, 27 de junho de 2011

A MORTE DO MATADOR

 


Imagem do Google


Ôxente! Vixe que saudade  d'ocês todos! Vou deixá um poeminha, danado de bom, pra ocês curtirem.

 "A Morte do Matador"


Eu num gosto dessa história
Que agora eu vou contá
História de valentia
De brabeza e de fuá
História de muitas morte
"Pru" muita farta de sorte
eu só morri no "finár".

Eu nasci "ditriminado"
A ser grande atiradô
"Ditriminado" a ser "brabo"
"Espaiadêro" de "horrô"
"Sapecadô" de bofete
"Brigadô" de canivete
Faca, peixeira e facão
Trinchete, foice e enxada
De revolver e espingarda
Metralhadora e canhão.

Eu nasci "desaprovido"
Dos lado que todos têm
Num tenho lado criança
Lado mulé, nem do bem
Só tenho um lado abusado
E não fico sossegado
Do lado de seu ninguém.

Confesso, sou injuado
Mais sério do que defunto
Num sou de trocar risada
Num sou de puxar assunto
Num fujo da "bandidage"
E tendo mula "selvage"
Se for pra muntá eu munto.

Já matei vinte valente
Matei uns dez valentão
Uns vinte e tanto safado
Uns oitocentos ladrão
De traideiro, um punhado
De vigarista afamado
Num me lembro, uma purção.

Eu inté perdi a conta
De quantos tiro já dei
Mas as bala que "cuspiro"
"Chegaro" adonde mirei
Pra não "dizere" a "bobage"
Q'eu falo muita "vantage"
Uns, dois ou três eu errei.

O dia que eu morri
Foi quando tu me "olhô"
Todas "fulôre" que "chêra"
Naquele dia "cheirô"
Todas estrela que "bria"
Naquele dia "briou"
As "passarada" que canta
Naquele dia cantô
Todo "brabo" que não chora
Naquele dia "chorô"
Porque todo "amô" que mata
Naquele dia matô.

"Pru" riba de tantos causo
Sei que morrê não mereço
Tô no céu, tô nos teus braço
De quaje nada padeço
Por isso a partir "dagora"
Só vou contá minha história
morrendo já no começo.

Jessier Quirino

12 comentários:

Manuela Freitas disse...

Adoro esta forma de falar o português, é deliciosa!
Por cá também há zonas onde isso acontece! rssss
Beijinhos,
Manú

Claudia disse...

Que interessante esta forma do português...valeu! bjs

LEIDSON SANTANA disse...

Eita Jessier Quirino "fio duma égua", caba bom... tem o dom de falar sadio e aprumado. Sou fanático por poesia matuta, vejo-me nela...
Parabéns para Manuela Freitas, quando diz que a forma de falar é gostosa e parabéns a Socorro por nos oferecer poesia tão bem feita e linda.
Beijão

Leci Irene disse...

ái que lindura!!!!!!!!! Amei, me apaixonei... quase chorei!

claudete disse...

J.Q. é demais!!! Amiga vá ao meu novo espaço e pegue para você colocar aqui, pois merece por demais, o selo que recebi da minha amiga Marlene ( Blog Mentores de Luz) e repasso para todos os amigos que quiserem, você ficarei feliz de vêlo aqui. Bjs.
http://surpresasdeamormimoseselos.blogspot.com

Cantinho She disse...

Hahahaha adorei! Minha querida, o meu e-mail é: cantinhoshe@gmail.com
Acertamos direitinho como faremos para te entregar Cabra Cega... ;) Vou fazer pedidos na Editora ainda essa semana, ou no mais tardar segunda, aí até o final da semana que vem já deve estar comigo, mas vamos falar por e-mail.
Beijo, beijo!
She

Cantinho She disse...

Falei que adorei e não falei o principal, tb adoro esse jeitinho de falar escrito do post... ;) Bjks

Luma Rosa disse...

Ôxente, menina!! Poeminha arretado de bom!! Saudade também correu por mim e cá estou de novo à blogosfera!!
Boa semana! Beijus,

Néia Lambert disse...

A poesia em todas as suas formas são encantadoras, adorei!

Beijos

✿ chica disse...

Que coisa linda, adoro isso! beijos,tudo de bom,chica

Élys disse...

É uma masneiura encantadora essa de falar, de pessoas ingênuas, de bbom coração.
Lindo poema!..
Um abraço.

Obrigado pela visita e seguir-me no meu blog: No Caminho das Palavras

Socorro Melo disse...

Oi amigos e amigas!

Sou fã incondicional do poeta Jessier Quirino.
Ele retrata a nossa cultura nordestina de um jeitinho muito divertido.
Adoro esse matutês bem típico da nossa gente, da nossa terra...
Vixe Maria, tô falando demais.
Valeu gente! voltem sempre, viu?

Beijos
Socorro Melo