Pegadas de Jesus

Pegadas de Jesus

segunda-feira, 2 de abril de 2012

BOAS VINDAS E POESIA


Agradeço aos novos seguidores (abaixo relacionados), e aos antigos também (que não vou relacionar, por serem muitos) por prestigiarem este espaço, pois, sem vocês, que graça teria? É um honra recebê-los aqui. Voltem sempre!

Agapeporvoce
Marcia
Ong Alerta
O meu pensamento viaja
Claudio poeta
Marcela
Felipa
Imaculada
Roselia Reis
Élio Monteiro
Elaine Averbuch
AnyMery
Edna
Emiliana Vaz

Deixo-lhes um poema do Carlos Drummond de Andrade, para reflexão.

O Novo Homem


O homem será feito
em laboratório.
Será tão perfeito como no antigório.
Rirá como gente,
beberá cerveja
deliciadamente.
Caçará narceja
e bicho do mato.
Jogará no bicho,
tirará retrato
com o maior capricho.
Usará bermuda
e gola roulée.
Queimará arruda
indo ao canjerê,
e do não-objecto
fará escultura.
Será neoconcreto
se houver censura.
Ganhará dinheiro
e muitos diplomas,
fino cavalheiro
em noventa idiomas.
Chegará a Marte
em seu cavalinho
de ir a toda parte
mesmo sem caminho.
O homem será feito
em laboratório
muito mais perfeito
do que no antigório.
Dispensa-se amor,
ternura ou desejo.
Seja como for
(até num bocejo)
salta da retorta
um senhor garoto.
Vai abrindo a porta
com riso maroto:
«Nove meses, eu?
Nem nove minutos.»
Quem já concebeu
melhores produtos?
A dor não preside
sua gestação.
Seu nascer elide
o sonho e a aflição.
Nascerá bonito?
Corpo bem talhado?
Claro: não é mito,
é planificado.
Nele, tudo exacto,
medido, bem posto:
o justo formato,
o standard do rosto.
Duzentos modelos,
todos atraentes.
(Escolher, ao vê-los,
nossos descendentes.)
Quer um sábio? Peça.
Ministro? Encomende.
Uma ficha impressa
a todos atende.
Perdão: acabou-se
a época dos pais.
Quem comia doce
já não come mais.
Não chame de filho
este ser diverso
que pisa o ladrilho
de outro universo.
Sua independência
é total: sem marca
de família, vence
a lei do patriarca.
Liberto da herança
de sangue ou de afecto,
desconhece a aliança
de avô com seu neto.
Pai: macromolécula;
mãe: tubo de ensaio,
e, per omnia secula,
livre, papagaio, sem memória e sexo,
feliz, por que não?
pois rompeu o nexo
da velha Criação,
eis que o homem feito
em laboratório
sem qualquer defeito
como no antigório,
acabou com o Homem.
Bem feito.

Carlos Drummond de Andrade, in 'Versiprosa'

11 comentários:

✿ chica disse...

Linda poesia,Socorro! Aproveito pra desde já, desejar uma linda e FELIZ PÁSCOA! beijos,chica

Misturação - Ana Karla disse...

Bom dia Socorro!
Uma linda poesia para saudar os seguidores.
Boa semana
Xeros

pensandoemfamilia disse...

Oi querida
Pensei que fosse sua seguidora, nãao sou???
Não tem importância, eu gosto de estar por aqui, lendo e admirando seus pots recheado de poesia.
bjs

Socorro Melo disse...

Olá, gente!

Desejo uma boa semana a todos!

Chica, obrigada! Desejo a você, e a sua família, uma feliz semana santa também.

Valeu, ana Karla! Bjo bjo

Norma,

É sim, e muito querida. É que relacionei os mais novinhos, aqueles a quem eu ainda não tinha me dirigido, viu? Receber você aqui, é sempre uma honra...

Beijão
Socorro Melo

marcela disse...

Uma reflexão e tanto...
e enquanto a ciência evolui em passos largos, a humanidade involui na mesma rapidez.
Bjos e é um prazer estar aqui.

Néia Lambert disse...

Linda poesia! Uma ótima semana para você Socorro.

Beijos

Élys disse...

A evolução da ciência ...Um poema bem atual.
Beijos.

elvira carvalho disse...

Apesar de Drummond de Andrade ser um dos meus poetas preferidos, não conhecia este poema
Obrigada pela partilha
Um abraço e Páscoa Feliz

Luma Rosa disse...

Não conhecia esses versos de Drummond! Obrigada por apresentá-los!! Beijus,

ONG ALERTA disse...

Obrigada pelo carinho e excelente escolha no poema, feliz pascoa beijo Lisette.

Elisa T. Campos disse...

Maravilhosa poesia de Drummond
Verdade incontestável.
Acabou-se a época dis pais.

Beijos