Pegadas de Jesus

Pegadas de Jesus

quinta-feira, 8 de outubro de 2015

EMOÇÕES

Estou em processo de desaceleração. Somente agora, depois dos cinquenta anos, tomei consciência do quanto me violentei, do quanto me cobrei, e de como tão pessimamente administrei minhas emoções. Estresse. Estresse. Estresse. Agi assim motivada pelas circunstâncias, pela falta de experiência e talvez até herança genética. Contrariei-me por tão pouca coisa. Quantas descargas emocionais por problemas tão insignificantes e até imaginários! Gostaria de voltar no tempo, e ter oportunidade de refazer o meu caminho, com a bagagem que tenho hoje. Como não posso, tenho me esforçado para dar uma nova dimensão à minha qualidade de vida.
Herdei dos meus antepassados, possivelmente, a inquietude, o temperamento agitado, a impulsividade, o imediatismo.  Quantas vezes me desarmonizei por ninharia. Ansiedade e impaciência sempre foram características marcantes. Nunca soube trabalhar sobre pressão, ou com prazos exíguos, nem assumir várias atividades ao mesmo tempo. Mantinha-me calada, nos momentos de tensão, e lutava contra essa impulsividade sofrendo toda a agressão em silêncio, toda descarga emocional.  Inúmeras vezes fui vítima de estafa, de cansaço mental. E com certeza tudo isso refletiu nos meus relacionamentos, nos mais estreitos, ainda mais.
Certa feita participei de um evento importante que tratou das competências emocionais. O profissional, um psicoterapeuta, fazia uma comparação da nossa constituição psíquica com um jogo de xadrez, onde o EU, era o Rei e o EGO, o cavalo, e pude perceber o quanto na vida fui dominada pelo cavalo.
Sentia-me presa e necessitada de pasto para abastecer o ego. Havia um vazio de sentido e uma angústia velada. Apesar de tudo isso, Deus sempre ocupou um lugar importante na minha vida, eu só não sabia como lidar com Ele. Não sabia alimentar corretamente a minha fé e nem controlar as emoções, nunca soube. Aí veio uma crise. Bendita crise, que me fez refletir sobre muita coisa, e a partir dela tomei atitudes novas e me pus em busca da serenidade e da paz, e consegui.
Depois de um tempo de procura, o encontro. De repente, foi como se uma luz tivesse se acendido dentro de mim. E ela expandiu minha consciência e iluminou recantos que eu nem imaginavam tivessem obscurecidos. Pude me ver sem máscaras. E vi o quanto me enganei na vida, o quanto sou frágil, mas também o quanto amo e valorizo a vida. Procurei avidamente me preencher de Deus e me esvaziar de todo lixo emocional. Dos seus sinais fiz o meu caminho. E tenho buscado essa comunhão todos os dias, caindo e levantando, mas, com objetivo, perseverante, esperançosa, apaixonada. A vida em Deus é uma experiência, e eu me propus a fazê-la, e descobri tanta coisa que o véu da ignorância ocultava. Ele não é algo à parte, inacessível, ele é Presença real e constante. 
Começo a perceber o Rei (o meu eu) no comando da minha vida, insisto nisso, quero isso. Retiro o pasto do cavalo (o meu ego) e vejo-o relinchar de descontentamento, e sinto o quanto é boa a sensação de vencer a mim mesma. Insegurança, vazio, sombra, angústia, medo, tudo vai se dissipando numa sutileza impressionante. E as cores da vida vão surgindo, em nuances, alegres e festivas quando nos harmonizamos e equilibramos as emoções.
A meta a ser perseguida quotidianamente é a paz, na certeza de que “tudo contribui para o bem daqueles que amam a Deus”.  
Por Socorro Melo
  


10 comentários:

pensandoemfamilia disse...

Esta é uma busca de quem toma consciência de como somos levados, que não estamos sempre no comando. Buscar a paz é se centrar para que não fiquemos tão vulnerável. Alguns passam pela vida e, infelizmente, não se encontram. bjs

Gracita disse...

Bom dia amiga Socorro
Um dia todos nós paramos para uma análise do que temos feito com a nossa vida e aí nos descobrimos e a nossas prioridades mudam.
Adquirimos experiências com as nossas vivências e quando conseguimos deitar fora o lixo emocional estamos aptas a uma vida mais feliz pautada nos parâmetros do que nos faz bem. Valorizamos o eu e fazemos escolhas conscientes que não agridam o nosso ser. Uma soberba reflexão minha amiga
Tenha um dia abençoado e feliz
Beijos e carinhos perfumados
Gracita

Dorli Ramos disse...

Oi Socorro,
A vida está aí agora para você viver com toda a plenitude.
Eu já sofri muito, mas sempre guardo num cantinho do meu cérebro, tranco a chave e a jogo num pequeno rio de águas correntes.
A vida é feita de acertos e tropeços,injustiças e poucos amigos, só assim conseguimos ter uma vida tranquila e o mais importante: sorria.
Caminhe pra frente, não olhe para trás e caminhe de mãos dadas com Deus.
Uma linda noite.
Beijos no coração
minicontista

Marli Soares Borges disse...

Bom dia Socorro.
Quando paramos um pouco e começamos a pensar e a reflexão chega, é possível ouvir nosso eu interior e nesse momento nossa situação real/vital, aflora. E começamos a visualizar um caminho mais tranquilo para caminharmos. E vem um alívio tão grande. E chega a tão almejada paz interior. Que bom que você conseguiu. Siga no caminho, minha amiga e siga também escrevendo esses belos textos!!!! Tenha um ótimo dia.
Beijos

Gina disse...

Olá, Socorro.
Não há dúvida que o equilíbrio é um objetivo a ser alcançado, mas os caminhos são tortuosos e a convivência, sobretudo em família, o maior teste a que somos submetidos. Fico feliz por você estar colhendo bons resultados.
Bjs.

Socorro Melo disse...


Oi, amigas!

Bom ver vocês por aqui...
Muito grata pela visita de cada uma. Os comentáros de vocês enriquecem em muito o meu humilde texto.

Paz e bem a todas
Socorro Melo

Élys disse...

Lindo este seu post e concordo plenamente com este caminho. Não é simples mas podemos conseguir com perseverança, acreditando que Deus realmente é o nosso verdadeiro esteio e que o ego é apenas um elemento que nos incomoda para que um dia tomemos a iniciativa que você tomou e caminha para a paz.
Um grande abraço.
Élys.

Lourisvaldo Santana disse...

É pena, Socorro, que se chega a esse estágio de equilíbrio tão tarde!

Quantas alegrias, quantos momentos de felicidade se perde...
quantas vezes se nos enlaça o ego e nos tira pouco a pouco um pedaço de vida!

Abraços, moça!

Diana de Oliveira Pessoa disse...

Dona Socorro,

Fiquei muito feliz com o texto da senhora, vejo como é bom podermos nos reencontrar com si mesmos, e isso claro tem haver diretamente com nosso criador. Mais que analisarmos e julgarmos o próximo, precisamos diariamente repensar os nossos passos, e o nosso caminho, pois tudo aquilo que está fora, reflete o nosso eu interior. Sei que momentos difíceis nos acertam e muitas vezes abalam nossa estrutura, mais é aí que nos tornamos mais fortes. Sou sua eterna fã, por sua história de vida, por sua perseverança e por ter sido uma ótima mãe, irmã e filha sempre! Espero a sua idade conseguir ser metade do que a senhora é, já será o bastante! Conte sempre comigo.

Beijos da norinha.

Socorro Melo disse...


Diana,

Suas palavras me emocionaram e me deixaram feliz. Agradeço pelo carinho e pela atenção que sempre me teve. Espero em Deus ser sempre um elo de harmonia por onde passar, apesar das minhas limitações. Que bom saber que posso contar com você!

Que Deus te abençoe sempre!

Sua sogrinha