Pegadas de Jesus

Pegadas de Jesus

segunda-feira, 23 de novembro de 2015

CONTO: DESENCANTO


Quando ele cruzou o limiar da porta, e o vi pelas costas, levando consigo os meus sonhos de um amor ideal, minhas esperanças de uma vida perfeita, minhas ilusões, desmoronei. O chão abriu-se sob os meus pés, e me senti tragada. Estava tudo acabado.

A desilusão fechou-me as portas da alegria, e da vontade de viver, e abriu-se uma torrente de lágrimas.  Eu mal conseguia acreditar que pudesse ser verdade tudo o que estava me acontecendo. Por vezes, fechava os olhos, na esperança de ao acordar, constatar que tudo não passava de um terrível pesadelo... Mas, não era.

A vida perdera as cores, tudo me parecia cinzento, sem sentido. Desaparecera o brilho dos meus olhos, e eu já não ouvia a música suave que cantava o meu coração.

Desmoronei. Que dor lancinante! Nunca imaginei que o desespero causasse uma dor tão doída e tão profunda...

De angústia e tristeza foram pincelados os meus dias. E o meu coração inconsolável, gemia, inconformado pela perda, e pela saudade incontida.

Tudo em que acreditei, tudo o que investi, tudo que mais amei, se dissipava da minha vida como fumaça ao vento. 

Caí, me prostrei. Expus as feridas da minha alma. Deixei me conduzir pela solidão. Debati-me à procura de veredas, de caminhos amenos, porém, nada aplacava a minha dor. Por momentos tornei-me fria, insensível, para logo após, tatear à procura de esperanças, e de paz interior.

Sofri horrores, por dias que pareceram sem fim. E me permitir ficar assim, até me esvaziar de toda dor, e perceber que a vida é mais que o desengano.

Mas aprendi, às duras penas, e o desengano me fez compreender, que a vida é tecida na imprevisibilidade, por pessoas falíveis, com qualidades e defeitos, e que, portanto, está sujeita aos desencontros, e desencantos. 

Entendi que errei quando me enchi de expectativas, e que a vida não é um conto de fadas, a vida é real e essa realidade pode ser dura, muitas vezes.

Um dia a dor havia sarado. Não havia sequelas. Não restaram lágrimas, nem nada negativo. Cresci. Venci a desilusão. 

Mas, ainda acho que a vida sem encanto não tem graça nenhuma. O encanto é a poesia. Não importa se por causa disso precise sofrer, o importante é viver grandes emoções.
   
(Socorro Melo)



8 comentários:

Elvira Carvalho disse...

Gostei. E claro que tem razão. A vida O sofrimento é o sal da vida. Precisa-se mas em pequenas doses. Sem ele não saberíamos dar valor à felicidade. Mas em demasia deixa de existir a própria felicidade.
Um abraço

Roselia Bezerra disse...

Olá, querida Socorro
Recordei-me da nossa BC...
A gente cresce e MUITO a cada desencanto...
Bjm fraterno

Élys disse...

A vida é assim...É bom, muito bom ser feliz, mas as vezes a vida nos apronta algo diferente que precisamos com dificuldade nos adaptar. A vida é uma escola e temos que buscar entender o que ela quer nos ensinar.
Um gande abraço.
Élys.

Élys disse...

A vida é uma escola e precisamos estar sempre atentos ao que acontece, para tirarmos as melhores lições para angariarmos experiência e sabermos como agir em novas situações.
Um abraço.
Élys.

Evanir disse...

Minha Amiga.
Foi com emoção que li todo seu texto
comoveu meu coração diante de tantos momentos amargos e difícil de
esquecer.
Vejo que no final deixastes num cantinho onde não pudesse
lhe causar mais nenhuma dor.
Um carinhoso abraço sua amiga sempre.
Evanir.

emiliano norma disse...

Sim, viver emoções fortes, entregar-se é viver.Bonito e real conto. Ninguém escapa ileso. bjs

pensandoemfamilia disse...

Sim, viver emoções fortes, entregar-se é viver.Bonito e real conto. Ninguém escapa ileso. bjs

Gracita disse...

Por mais que doa temos que nos entregar totalmente e viver cada momento com o prazer que ele nos oferece. A desilusão faz parte do aprendizado e propicia crescimento
Um belíssimo conto amiga Socorro. Parabéns!
Beijo grande