Pegadas de Jesus

Pegadas de Jesus

sábado, 3 de fevereiro de 2018

CRAZY

Da Net

Crise existencial. O que entendo por isso? Um confronto entre eu e eu mesma. Sei que existe uma vasta literatura sobre este assunto, que aprecio e também sei que encerra verdades, porém, quero analisar por mim mesma o que acontece comigo neste tedioso momento.

Parece que sou apresentada ao pior de mim mesma. Sou obrigada a enxergar uma realidade que me deprime. Às vezes até penso que essa realidade é fantasiosa, mas, neste momento ela é muito real.
Perco o encanto por muita coisa. E até a esperança de que determinadas coisas mudem. Decepciono-me com atitudes que ao meu ver são perversas.

Fico triste. Sisuda. Só consigo trocar poucas palavras. Não percebo apenas os meus defeitos, mas, do mundo todo. Parece que há um complô contra mim.

É estranho, mas, sinto que sou pesada a mim mesma. Fica difícil carregar o pessimismo. O poeta tem razão, quando diz que, cada um sabe o pesar e a delícia de ser o que é.

Questiono minhas perdas e até meus ganhos. Questiono os valores nobres que defendo. Parece que uma cortina de fumaça encobre o sol da minha vida.

É difícil lidar com a vida, neste momento. É preciso auto controle. Pois que, vêm à baila tudo aquilo que abomino. Faz com que me frustre e me decepcione com a humanidade inteira.

Penso que estou ficando maluca, ou depressiva, mas, sei que não.  A sagrada Escritura diz que maldito é o homem que confia em outro homem. Pelo cenário do mundo hoje, tão moderno, e ao mesmo tempo tão antigo, pois, a história se repete, as barbaridades também, percebo o ser humano como alguém capaz de muita maldade. O mundo gira em torno do ter, do poder e do prazer.

A vaidade e o egoísmo mandam e desmandam. A falsidade corre solta. Cada um quer salvar seu rabo e os outros que se danem. Os discursos politicamente corretos são apenas máscaras torpes.

Não importa que crianças morram de fome ou trucidadas pela violência em meio a guerras insanas ou em campos de trabalhos forçados, que sejam mutiladas, que usem drogas, que sejam abusadas sexualmente.
Na verdade tudo é relativo, até Deus, segundo a modernidade. E as construções sociais são tão ridículas que parecem fantasias, mas, há quem preze, quem concorde, quem professe. Ideologias. Qualquer babaca que tenha dinheiro e notoriedade é filósofo. E tem mais, se arvora de Deus e induz as massas desorientadas a seguirem de olhos fechados por caminhos abissais.

Tecnologia, ciência, tecnologia, arte, tecnologia, intelectualidade… E a humanidade vivendo talvez o pior de sua decadência moral. Pra que moral? Tudo é permitido. Só não sei porque as clínicas psiquiátricas estão cheias, e porque as drogas vitimam uma quantidade absurda de pessoas. Mas, tudo bem é a modernidade.
Claro que cada um tem o direito de escolher o que quer, pra isso temos livre arbítrio. Mas, por que esse tal de livre arbítrio só induz as pessoas a fazerem o mal, a se auto destruírem? Tem algo errado aí. E não estou querendo entrar no mérito de nada não. Apenas percebo que a humanidade é burra. É insuficiente. É maldosa.
Meu país se torna um lugar hostil pra se viver. A corrupção impera, a burrice também. Nunca vi tanta ignorância num povo só. Temos  quase tudo pra ser uma Nação equilibrada, só nos falta brio e educação.

E vamos engolindo tudo o que a mídia corrupta nos empurra goela abaixo.  A juventude, com raras exceções, é um bando de retardados sem objetivos concretos na vida, a não ser ganhar dinheiro fácil e notoriedade. Não existem mais ideais nobres. Todos parecem ser apenas um pedaço de carne exposto a quem dá mais, nas vitrines da vida. E a trilha sonora? Um lixo. E a mídia corrupta contribuindo para isso.

É, penso que não é sem razão ter crise existencial nesse século. De falta de respeito e de amor. Falando sério, o que é mesmo o amor? Alguém já ouviu falar nisso? Ah, é uma utopia…  É coisa de gente maluca e ignorante, de iletrados, sem cultura… Amor, só o que faltava.

Pois é, ainda existem alguns retrógrados como eu, que acreditam no amor, e que tentam praticá-lo, apesar do ridículo. Mas, vez em quando me questiono se sou sã mesmo, acreditar em algo tão demodê.

Curioso, é que quando as vítimas da modernidade se dão conta do mundo de ilusões em que vivem, quando se deparam com a vida, como ela é, só conseguem se curar, pasmem, com amor.

Bem, vou ficando por aqui, na minha loucura, curtindo um pouco mais a minha crise existencial, tentando entender o maior dos mistérios, eu mesma.

Não me arvoro em julgar o mundo, se nem meu mestre o fez, mas, como não sou perfeita, como Ele, penso que o mundo está carecendo de vergonha na cara. A coisa está assim: safe-se quem puder! (Lia Mel)


"Enquanto você se esforça pra ser 
 Um sujeito normal e fazer tudo igual, 
 Eu do meu lado aprendendo a ser louco, 
 Um maluco total, na loucura real.  
Misturada com minha lucidez, 
Controlando a minha maluquez,
   Vou ficar, ficar com certeza, Maluco Beleza,  
Eu vou ficar, ah! Ficar com certeza, Maluco Beleza. "
(Raul Seixas)

5 comentários:

Elvira Carvalho disse...

Que se passa, amiga? Este seu post deixa-me preocupada.
Nós sabemos que a humanidade caminha para a sua auto-destruição, e que apenas o amor e a fé a podem salvar. Nós não podemos salvar o mundo, mas a sua mudança começa por nós, por isso não podemos desistir.
Abraço

Socorro Melo disse...


Olá, Elvira!

Estou bem, apenas desiludida com a humanidade, diante de tanto descalabro, maldades, corrupção, descasos, injustiças... Parece que não se aprende nada com os exemplos negativos do passado. Revolta ver pessoas em tão grande sofrimento, tratadas como coisa qualquer enquanto a prioridade é poder e riqueza.

Obrigada pelo carinho! Grande abraço.

emiliano norma disse...

Olá Socorro. O mundo, o Brasil está mesmo desmotivador, tanta desumanidade, mas cada um de nós, assim penso, tem uma missão na vida, assim sendo, tentar não se deixar contaminar pela desesperança e fazer o nosso melhor pode ser uma boa meta, sentido de vida. Crises fazem parte do nosso crescimento individual, para revermos o que está nos paralisando e o que não estamos reconhecendo do nossa lado de luz.

Beijos. Estou sem seu e-maail atualizado.

Socorro Melo disse...


Tem razão, Norma! É que às vezes pinta um desânimo. A gente olha para um lado e outro e só vê tudo se desintegrando, os valores se invertendo, costumes mudando para pior, ou seja, só retrocesso. Mas, não podemos parar. Vamos em frente. De gota em gota se faz um oceano.

Obrigada pelas palavras sábias e carinhosas.

Beijos

Roselia Bezerra disse...

Olá, querida amiga Socorro!
Esperar é bem diferente de esperançar... eu to neste último verbo...
Seja muito feliz e abençoada nesta Oitava de Páscoa junto aos seus amados!
Bjm festivo de paz e bem