Pegadas de Jesus

Pegadas de Jesus

quinta-feira, 15 de setembro de 2011

BCFV - MORTE


Este texto é parte integrante da Blogagem Coletiva Fases da Vida, idealizada pelas amigas:

Rosélia do http://espiritual-idade.blogspot.com/
Gina do http://nacozinhabrasil-gina.blogspot.com/
Rute do http://publicarparapartilhar.blogspot.com/


TEMA: MORTE

Estou aqui, meio sisuda, meio sem graça, e sem saber por onde começar, pra falar de um assunto que tenho dificuldades...
Bem, enfim, morro de medo de morrer...rsrs
Mas, já que não tenho como reverter essa situação, ou seja, já que não tenho como não morrer, o melhor é ir me acostumando com a idéia, e ir me preparando para o grande dia... GRANDE? É, eu acredito na vida após a morte, e isso é um grande acontecimento, pois sem a morte, nada de vida eterna não é mesmo?
Quando falo sobre este assunto, a morte, me vem à mente duas coisas:
A primeira é uma frase, da qual desconheço o autor, que diz assim: “Não é que eu tenha medo de morrer, eu só não queria estar lá quando isso acontecesse...” Hilário, não? rsrs
A segunda é uma lembrança da infância. Numa aula de catecismo, a catequista nos disse que, tudo que pedíssemos a Deus com fé receberíamos... Mas, frisou que nosso pedido deveria ser consistente, e que não deveríamos pedir absurdos, como, por exemplo, pedir pra não morrer... Fiquei arrasada, pois, era justamente este o pedido que eu já me preparava pra fazer, rsrs
O que me amedronta, quando penso na minha própria morte, é o sofrimento físico. Não penso no que vem depois, com o que vou me deparar, pra onde vou... Nada disso... Penso na agonia, na dor, no sofrimento, causados pela falência dos órgãos... Ui!
Para onde vou, pois acredito que a vida é sublime e grandiosa demais, e não se resume apenas ao que vivemos aqui, penso muito pouco. E quando penso, me sinto confortável, pois a minha fé, é num Deus muito poderoso e sapiente, e que governa com amor... Portanto, eu vou para onde for determinado por Ele, assim como vim parar aqui, e gostei... rsrs
Entretanto, quando penso na morte das pessoas que amo, fico desnorteada, pois, além de pensar no sofrimento que elas vão passar, penso também no que a ausência delas vai significar para mim... Aliás, eu nem gosto de pensar nisso, pois, já me dá um pavor e os olhos marejam...
Confesso, não estou preparada pra isso não. Será que alguém se prepara? O nosso instinto de sobrevivência é forte demais, influi muito, e o meu, sei não, acho que é anormal, rsrs
Eu queria ser forte, encarar melhor a idéia da morte, me preparar melhor... Até que já melhorei bastante, pois, tempos atrás eu nem estaria dissertando sobre este assunto.
Minha mãe tem setenta e seis anos, é saudável, cheia de vida, e é bem consciente. Ano passado ela comprou um terreno no cemitério, para construir o jazigo da família, e fez também um plano de assistência familiar, que cobre todas as despesas funerárias dos associados. No início, nós (os filhos) reclamamos com ela, dissemos que isso era um mau agouro, que não era saudável ficar pensando em morte, mas, como não houve jeito de dissuadi-la, acabamos nos acostumando. Coisas da mamãe! Hoje até já brincamos com o assunto, sobre quem vai inaugurar a propriedade (rs)... Mas, no frigir dos ovos, a única certeza que temos na vida, é a da morte.
Admiro tanto as pessoas que encaram a morte com coragem, apesar da dor e do sofrimento, e às vezes ainda confortam os outros... Aprendi que devemos orar, inclusive por uma boa morte, e sempre faço isso, pois, é uma bênção se entregar em paz nos braços de Deus.
Bem, mas, já que não há outro jeito, e não tenho mesmo como driblar a morte...
Vou ter que ir, não é, gente? Ai, meu Deus! Só espero que essa distância que me separa dela, esteja sendo contada em anos-luz...

Vejam o poema que fiz, sobre este assunto:

AMANHÃ

Sou hóspede do tempo... Gentil passageira
E um dia por certo, terei que ir embora...
Por isso, à vida, eu canto agora!
Pois quem sabe a morte, bem logo me queira...

Mas antes eu quero, me encher de alegria...
Correr pelos prados, na relva deitar...
E pelas estradas, a esmo andar...
Ao sabor da brisa ou da ventania

Guardar do amigo o abraço sincero
E o sorriso mais doce do filho querido
O olhar mais ardente e comprometido
Do meu grande amor... É isso que quero.

Amanhã minha voz não mais se ouvirá
E haverá só silêncio em torno de mim
E uma grande quietude, por dias sem fim...
E meus passos o chão não desenhará

Quero, pois à vida poder celebrar...
Fazê-la intensa, fecunda e repleta...
E deixar meus versos, pois sou poeta,
Quando eu me for, pra não mais voltar...

(Socorro Melo)

Obrigada por virem aqui!

Hoje estou muito atarefada, não sei se vai dar para fazer as visitas, mas, a partir de amanhã, se Deus permitir, visitarei a todos, ok? Um grande abraço!

28 comentários:

✿ chica disse...

Socorro, mesmo sem jeito que disseste estar, falaste bem, lindo e ainda poetaste!Perfeita participação!beijos,chica

Lina disse...

Olá, Socorro!Que lindos versos!És uma poeta magnífica!A tua visão da morte é muito realista e a frase:"Não é que eu tenha medo de morrer, eu só não queria estar lá quando isso acontecesse...”está demais e resume o que no fundo todos sentimos!
Beijinhos mil!

Orvalho do Céu disse...

Querida Socorro
"...um ramo de jasmins todo orvalhado"...
(Amara)

Amiga, permita-me dizer-lhe que seu poema é de encantar...
O final então nem se fala... Espetacular...
Gostei imenso...
Valerá a pena ter vivido a vida e passado para outra melhor sendo poeta... nós que o digamos...
Seja feliz e abençoada!!!

"Simpatia são dois galhos
Banhados de bons orvalhos"...
(Ieda)
Um maravilhoso mês de setembro, repleto de gotículas de orvalho!!!
Bjm de coração a coração pra VC...

http://espiritual-idade.blogspot.com/

Gilmara Wolkartt disse...

Ei Socorro!
Ainda não me sinto à vontade com a morte, corro dela como o diabo da cruz!
Adorei a postagem e o poema sobre esse tema tão espinhento.
Gd beijo

Gina disse...

Socorro,
Se toda pessoa que a teme, pudesse se abrir como você o fez, em prosa e verso, já teria uma grande oportunidade de ir trabalhando seus medos.
Suas marcas não ficarão apenas depois, elas já estão fazendo parte da vida dos que a cercam.
Desafio mais do que cumprido!!!
Bjs.

Zilda Santiago disse...

Lindo poema amiga!!!
"Nascer, morrer, renascer ainda e progredir continuamente ESTA É A LEI"
Sigamos em frente!!!Bjs

Virginia Jesus Fassarella disse...

Socorro seu texto e sua poesia são lindos. Beijos.

Anne Lieri disse...

Socorro,admiro a clareza com que expos seus sentimentos!Tb acho que ninguem deseja a morte e sempre há um tiquinho de medo,pois tudo nos é desconhecido,mas a fé em Deus e que Ele sempre faz o melhor para nós é um grande conforto!Tb temo pelas mortes de entes queridos!É dor demais!Ficou lindo e sensivel seu poema final!Adorei!Bjs,

Maria Luiza disse...

Socorro, bem como eu, não! Vim aqui agradecer a sua visita e me deparo com uma companheira que pensa como eu? Só não faço poemas tão lindos como esse que você fez. Amiga, eu amei sua postagem e principalmente seu poema. E vamos pois a vida celebrar!Grande abraço!

Rachel disse...

Concordo com a Gina, se todos que temem a morte falasse sobre ela como você fez, na certa todo receio desaparecesse.
Adorei o poema, vou guardar!
Um grande abraço!

LILIANE disse...

oi Socorro, concordo com todas as palavras suas.
Não gosto de pensar na morte, acho terrível este momento, mas já que não tem outro jeito, vou procurando viver bem dia a dia.
Ah... ficou linda sua poesia.
beijo
tenha um dia de paz, viu.

Paula disse...

Socorro, vim agradecer e retribuir sua visita e seu comentário no meu Quintal. E vi que temos, além da blogagem, muito em comum, pois tb sou de virgem e tb tenho uma Fernanda.
A morte virá para todos, sem aviso, e nos levará... Para onde formos, Deus é quem sabe, mas uma certeza eu tenho: a de que reencontrarei todos os entes amados e que serei tão feliz lá quanto aqui.

Adorei sua poesia tb...

beijos

Néia Lambert disse...

Socorro, esse assunto é mesmo muito complicado de falar, mas confesso que não tenho medo da morte uma vez que é a única certeza da vida (já li isso não sei onde,rsrs).Enquanto isso o melhor é pensar na vida mesmo e aproveitá-la no máximo.

Beijos

Evanir disse...

Que a Paz e o Amor estejam sempre presente em sua vida Sinta o que você diz...
Com carinho! Diz o que você pensa. Com esperança! Pense no que você faz.
com fé! Faça o que você deve fazer. Com muito AMOR. Sabe..
Eu ganho força,coragem e confiança E me sinto Feliz Através de cada mensagem que
VOCÊ me envia Continue me abençoando com seu carinho OBRIGADA DE CORAÇÃO
Beijinhos com muito carinho.
Evanir

Calu disse...

Socorro,
não há quem não se aflija com essa perspectiva e saiba que teus desejos são os mesmos de toda população mundial.Por isso, o bom mesmo é ir cantando em verso e prosa a dádiva da vida, como vc o faz, procurando adiar o tal dia o máximo que for possível.
Tua carta-depoimento ficou sensacional!
Bjos,
Calu

" ESSÊNCIA ESTELAR MAYA " disse...

Socorro querida,

Para quem tem medo da morte, você soube se expressar muito bem.
Parabéns, gostei muito da forma como você abordou o tema, com muita sinceridade e autenticidade.

Eu te confesso que meu único receio também é no momento em que desencarnar.
Porque não conhecemos as sensações que teremos no corpo físico.
E vou te falar a verdade, quando tenho uma simples tontura, já entro em pânico....rsrsrsr
E também as Saudades que sentirei dos que ficarem.
Mas acredito muito que seremos bem amparados quando entrarmos em outros planos, pois um Pai nunca abandona seus filhos.
E um pequeno pensamento de Luz que tivermos, receberemos o auxílio imediato.

Seu poema é lindíssimo, admiro muito as pessoas que já trazem em suas Almas o dom com as palavras....e você com certeza é uma delas.
Adorei sua postagem.
Um grande beijo em seu coração!!!

RUTE disse...

Socorro,
gosto tanto das suas participações na BCFV!
Você tem um jeito muito solto e bem disposto de escrever. Parece até que estou sentada ao seu lado, na mesa dum café, numa conversa amena presencial :)

No meu ponto de vista, você encarou o desafio de falar sobre a morte de modo extraordinário. Muito serena apesar de falar que estáva sisuda...

Mil beijinhos.
Rute
P.s.-Já foi publicada a nova fase BCFV. Desta vez é que é a última.

Esplendor da Criação disse...

Olá!
Adorei seu relato, mas tudo qu ecolocou realmente faz parte da vida. Eu tbm espero qie a minha morte seja contada a anos luz, gostei muito! Mas com sua poesia final, arrasou, singela, linda, colocou de uma maneira poética e disse tudo. Um lindo domingo, bjs.

Denise disse...

Vc fala muito sobre a dor e o sofrimento, mas será q eles são tão reais assim? Vivi a algum tempo uma experiência q me fez questionar a dor. Cai e quebrei o pulso. As pessoas q estavam ao meu lado disseram q eu conversava e respondia perguntas normalmente. Só q eu não me lembro de nada dessa parte do atendimento, de ter ido para o hospital, e tb não senti dor alguma. Fui perceber q estava no hospital depois da cirurgia. Tb não senti dor alguma durante a recuperação. Interessante, não? Muita paz!

Socorro Melo disse...

Olá gente querida!

Que maravilha que foi essa blogagem, né? Aliás, está sendo, pois, temos ainda uma fase: A vida para além da morte...
Agradeço a visita de todas. Amei cada comentário... me regozijei com as palavras inteligentes e carinhosas...
Denise, quem me dera que aconteça assim na minha hora derradeira, viu! Ia ser uma bênção de Deus, rsrs
Rosélia, Regina e Rute, parabéns por este projeto, por terem conduzido tão bem!
Em 15 de outubro, estaremos de novo aqui, dessa vez, dissertando sobre mistérios...

Um abração
Socorro Melo

Bel Rech disse...

Você é hilária!
A morte é uma certeza, eu também não gostaria de sofre, mas a quem diga que quem sofre está mais perto de Deus, será?
Não gostaria de ver meus filhos partirem antes, pois acredito que a dor de uma mãe é terrível,vi mi sogra perder quatro filhos e tentava me colocar no lugar dela, é impossível.Eu sofria por ela, não por aqueles que estavam partindo...
Paz e bem

Maria Alice Cerqueira disse...

Boa noite amiga
Vim agradecer a sua presença no meu cantinho, seja sempre muito bem vinda ao mundo ao mundo magico do coração!
tenha uma linda semana!
abraço fraterno
Maria Alice

Juju Porcino Loureiro disse...

SOCORRO QUERIDA,
ADOREEEEI ESSE SEU POEMA!!!
LI VÁRIAS VEZES, E QUANTO MAIS EU LIA MAS ME ENCANTAVA COM ESSA SUA MARAVILHOSA INSPIRAÇÃO...
"Quero, pois à vida poder celebrar...
Fazê-la intensa, fecunda e repleta...
E deixar meus versos, pois sou poeta,
Quando eu me for, pra não mais voltar..."
ISSO É SIMPLESMENTE SENSACIONAL. PARABÉNS!!!
BEIJOS E UMA BOA SEMANA!!!

Juju Porcino Loureiro disse...

SOCORRO QUERIDA,
ADOREEEEI ESSE SEU POEMA!!!
LI VÁRIAS VEZES, E QUANTO MAIS EU LIA MAS ME ENCANTAVA COM ESSA SUA MARAVILHOSA INSPIRAÇÃO...
"Quero, pois à vida poder celebrar...
Fazê-la intensa, fecunda e repleta...
E deixar meus versos, pois sou poeta,
Quando eu me for, pra não mais voltar..."
ISSO É SIMPLESMENTE SENSACIONAL. PARABÉNS!!!
BEIJOS E UMA BOA SEMANA!!!
JUJU PORCINO LOUREIRO

Flor de Lótus disse...

Oi,Socorro!Nossa não sei se saberia falar sobre a morte.Eu procuro nem pensar muito nela. Dizem uqe a morte é a única certeza que temos na vida a dúvida é o que fazer até lá.
Assim como tu quando eu penso na morte tenho medo de envelhecer demais, durar mais que o meu corpo e minha mente podem suportar e me tornar um estorvo na vida dos outros.
Beijos

Maria Alice Cerqueira disse...

Boa dia!
Vim agradecer a sua presença lá no meu cantinho, seja sempre muito bem vinda ao mundo magico do coração!
tenha uma linda semana coberta de muita alegria e paz!
abraço fraterno!
Maria Alice

Silenciosamente ouvindo... disse...

Tratou muitíssimo bem o tema.Parabéns.Beijinho/Irene

Luciana Maria Penteado disse...

Que ótimo texto, uma delícia de ler, apesar do assunto, hahahaha. Vamos rir, já que não podemos chorar quando o ocorrido se concretizar, não é mesmo? Adorei sua visão preocupante, mas humorista da morte, rs. Beijos!