Pegadas de Jesus

Pegadas de Jesus

terça-feira, 15 de março de 2011

BLOGAGEM COLETIVA "FASES DA MINHA VIDA"


Este texto é parte integrante da Blogagem Coletiva "Fases da Minha Vida", proposta pela amiga Rosélia, a orvalho do céu, do http://espiritual-idade.blogspot.com/

                                   
                                                                  

Estava eu a dormitar, na tranqüilidade aconchegante do ventre da minha mãe, quando ouvi a voz imperiosa da Natureza.
- É hora de ir, acorde.
- Hã? Ir pra onde? – Perguntei.
- Pra Luz.
- Quero ficar mais um pouquinho, está tão bom aqui, tão quentinho, e me sinto tão protegida.
- O seu tempo chegou. Você está pronta. Não precisa de esperas. Vá!
- Pra onde vou? Não conheço o caminho.
- Você é dotada de instintos, e a sua cabeça é o seu guia.
Depois, nada mais ouvi. E aquele ambiente que antes me parecia acolhedor, tornara-se sufocante, e o escuro que me era prazeroso, passou a me assustar.
Mergulhei à procura do caminho, e usei a cabeça, em movimentos constantes, tentando desbravar os obstáculos que se posicionavam à minha frente. Lutei por muitos minutos, sem sucesso. Já me sentia sufocar, quando ouvi vozes, que me incentivavam a prosseguir naquela busca.
Parei, por instantes, ao ouvir uma doce voz, que parecia sofrida, mas ansiosa, e era a mesma que me contava histórias e cantava canções de ninar. Era a mamãe.
Do outro lado, o cenário era preocupante. Um quarto, e uma parteira a postos, munida de todos os utensílios, de que iria precisar, assistia à minha mãe, que entre suor e lágrimas, tentava tirar forças de onde já não existiam.
Naquele quarto, da parturiente, também se encontravam D. Josefa, minha avó materna, e tia Alice, que tentavam auxiliar no que podiam.
Então, encorajada pelos apelos vindos de fora, tentei encontrar a saída, mais uma vez, e nada. Minha cabeça tentava ir pro lado norte, mas, a saída era do lado Sul. Eu estava sufocando, iria morrer, pressentia.
Foi quando ouvi a voz firme e cheia de fé, da minha avó, clamando a Nossa Senhora do Perpétuo Socorro, para que viesse em auxílio de sua filha, e do bebê, que tanto sofriam, e que corriam riscos de vida. O bebê, que era eu, não encontrava-se em posição encefálica, conforme constatara a parteira, pois, ela vira o meu pezinho apontar na saída, mas, longe de ficar feliz, ficou assustada, pois, o quadro se agravara e tinha-se ali, um parto complicado.
Correram a buscar o médico, o único existente na cidade onde nasci, nos idos de 1962.
O médico veio, e depois de momentos angustiantes, de muita peleja, quando eu e mamãe já estávamos exaustas, conseguiram me desvencilhar das amarras, que me prendiam às entranhas maternas, e vi a luz.
Precisei de uma boa palmada inaugural, pra chorar, visto que aqui cheguei em estado de choque.
E naquela madrugada fria de 24 de agosto, eu nasci, entre risos e lágrimas, primeira filha de Maria e Luiz, após exatos nove meses do casamento, e me chamaram de Maria do Socorro, em homenagem à santa que ouviu as preces de minha avó, e que até hoje, tem me socorrido pela vida à fora, prestando-me o socorro necessário, nas horas mais difíceis, minha santa de devoção, Nossa Senhora, de todos os nomes.
E, depois de todo esse sofrimento, papai ainda resolveu fazer uma tromba, porque eu não era um menino, pode? KKK, mas, foi só por um instante, pois, rapidinho, se tornou o melhor e mais carinhoso pai do mundo, e que tem um orgulho danado de mim. E só sei que foi assim.

33 comentários:

chica disse...

Lindo relato do teu nascimento, complicadinho,mas que deixou todos alegre, inclusive teu pai, após a carranca inicial,srsr beijos,parabéns!chica

Beth/Lilás disse...

Lindo seu post, Socorro!
E se pensarmos o quão doloroso é este processo do nascimento, não teríamos tanto medo da morte, né mesmo?
Bonita participação na blogagem da Orvalhinho.
beijos cariocas

Gina disse...

Socorro,
Que belo relato! A "cabeça" a lhe guiar..., mas é pelo coração que você me arrebatou com sua história.
Muito bom saber a origem do seu nome, contada de uma forma tão bonita.
Tenha um ótimo dia!

orvalho do ceu disse...

Olá, Socorro querida
Meu desejo de hoje é que uma chuva de bênçãos seja derramada sobre VC e outra chuva de pétalas de rosas orvalhadas...

Que história emocionante!!!
O seu conto/nascimento ficou incrível!!!
Também nasci de parteira e nunca soube que meu papai ficara triste por não ser um menino... pode ser até que tenha sido assim... naquela época sem ultrasonografia...
Mas o fato é que, também como vc, fui muito amada pelo pai amoroso que sempre foi...
Ficou uma excelente contribuição... a narrativa cheia de bons sentimentos... senti vontade de ler a prosa até o fim...
Quanto a vc, que a Mãe Santíssima lhe proteja de todo o mal como fez no ínício da sua aparição aqui nesse mundo diferente do que antes a abrigou...

Carinhos fraternos em forma de orvalho sôbre pétalas de rosas...

Uma santa e abençoada Quaresma para VC.
Bjs natalícios

Manuela Freitas disse...

Olá Socorro,
Como sempre escreves muito bem, eu estive mesmo a assistir a esse parto tão difícil, mas tudo acabou em bem!
Interessantissimo como te lembras de todos os pormenores ou como contas como se assim fosse!
Beijos,
Manu

Mari Amorim disse...

Parabéns por sua participação!Assim vamos interagindo através dessa coletiva,o qual tb participo,
Boas energias,paz,saúde,e muito amor
Bjs
Mari

pensandoemfamilia disse...

Nossa ! acompanhei este sufoco e quase parei de respirar. Parabéns pelo seu próprio conto do nascer.
bjs

Lúcia Soares disse...

Que lindo, Socorro!
Arrepiei-me, pois acredito tanto nos poderes de Maria! E ela estava ali, presente, como sempre deve estar quando A invocamos.
Que bom que você nasceu, fêz feliz um homem e uma mulher e está aqui para nos contar sua história.
Muito maior prazer em ser amiga de uma Maria que foi socorrida desde o nascimento pela luz da doce Mãe de Jesus.
Beijo!

Anabela Jardim disse...

Minha mãe conta que o meu nascimento também foi complicado, mas para Deus nada é impossível, e ele quis nos dar de presente a vida.

Suziley disse...

Que lindo relato do seu nascimento, Socorro. Parabéns queerida amiga!! Uma ótima semana, beijos, boa noite :)

Esplendor da Criação disse...

Uma descrição emocionante de um nascimento, parabéns pela bela participação. Bjs.

Flora Maria disse...

Gostei muito do seu texto, Socorro, Maria como eu, que também sou Mello, com 2 eles !
E no bairro onde eu morava no Rio, a Igreja era de N.Sª do Perpétuo Socorro !

Lendo agora, parece que foi fácil, mas na hora...

Beijo

Nilce disse...

Oi Socorro
Lindo o seu relato.
Fiz um assim no dia do meu niver. Você leu?
Adorei a postagem.

Bjs no coração!

Nilce

Misturação - Ana Karla disse...

História interessante e da forma como contou, ficou cheia de emoções e muito engraçada.
Viva Maria do Socorro!
Xeros

welze disse...

que emoção. uma das mais belas postagem que vi nesse mundo blogueiro. quanta felicidade por poder partilhar dessa alegria. agradeço de coração o privilégio. boa semana minha querida linda.

Sil disse...

Que relato mais lindo, o nascimento narrado de um outro espectro. Adorei seu blog. Prazer em conhece-lo!

piedadevieira disse...

Linda história, Socorro!
Beijos

sonho disse...

Bela e emocionante descrição:)
Beijo d'anjo

Lina disse...

Que bela narração, parecia que estava a viver a tua historia. Vou seguir as tuas pegadas...e o teu blogue.
Beijinhos, de Portugal

Zilda Santiago disse...

Bela postagem amiga e lembra passagens da minha vida como católica.Meu marido e sogros devotos desta santa me levaram juntos e fiz muita novena e no meu 1º parto ela foi muito chamada por eles pois complicou um pouco,e continuou sendo chamada sempre pelo pai super devoto,hoje falecido,mas o quadro está no meu quarto e se eu falar em tirar minha menina tem um troço...rsrsrsrGrande beijo amiga!!!

Jeanne disse...

Parabéns pela participação, teu relato foi emocionante e original...
Beijos

claudete disse...

AH ! Socorro que forma linda de contar seu nascimento , narrativa que empolga do começo ao fim , principalmente este final feliz que culminou na pessoa cheia de luz que é você. Parabéns querida pela brilhante participação.Obrigada pela visita.

LILIANE disse...

Socorro,
imagino o sofrimento da sua mãe e a preocupação de todos.
achei graça de vc contar do seu pai.
rsrs
os homens tinham mesmo essa mania de querer um menininho...
mas que bom que veio você
beijinho.

ⓣⓔⓡⓔⓢⓐ ⓒⓡⓘⓢⓣⓘⓝⓐ disse...

Olá!!
Lindo teu nascimento, ele foi emocionante do começo ao final.
Td de bom pra ti^^
bjs♥

Néia Lambert disse...

Que delícia ler seu texto Socorro, é emocionante a forma como você narrou seu nascimento, parabéns!

Beijos

RUTE disse...

Maria do Socorro,
sou muito ligada em histórias mas nem todas as pessoas são boas narradoras.
Você, pelo contrário, é eximia na arte de narrar. Comecei logo por me sentir aconchegada no útero materno assim como quando nós estamos dentro da cama, só com o nariz fora da roupa, em dias frios.
Lembrei até do exercicio do nascimento da semente, proposto num livro de Paulo Coelho.
No qual ele fala para nós nos enrolarmos todos, apertadinhos pelos braços. Aí, começar a despertar como semente que recebe água e logo germina em broto.
O pensamento é esse, o exercicio é soltar um pedacinho de nós de cada vez, os dedos, os braços, endireitar o corpo, subir como planta que desponta, terminando em flôr aberta e viçosa, de braços estendidos para o sol.
Gostou?
Beijo além-mar e um agradecimento especial por se dispor a estar connosco e compartilhar sua história.
Rute

Socorro Melo disse...

Oi, gente!

Que beleza! É uma verdadeira festa, pra mim, contar com todos(as) aqui. Um super abração pra cada um(a), em particular.

Aos novos amigos e amigas, que aqui vieram, sou mui grata, e digo-lhes que é sempre um prazer recebê-los. Voltem quando quiserem, serão bem vindos(as).

Manu,lembro de nada não, foi só um faz de conta, baseado nos dados que disponho do meu nascimento. Pudera, né? kkk

Nilce, eu vi sua postagem de aniversário sim, e muito me emocionei, na ocasião.


Grande beijo
Socorro Melo

Bel Rech disse...

A través da blogagem coletiva podemos ver cada um tem seu jeitinho especial de contar.Muito legal como contastes teu próprio nascimento...Linda família...carinhos

Macá disse...

Socorro
Em primeiro lugar me desculpe o atraso, mas com o sucesso dessa Blogagem Coletiva, com tanta gente participando, só consegui chegar aqui agora (e ainda tenho tantos outros pra ir....).
Nossa, mas eu adorei a forma como contou o seu nascimento mesmo.
Que sufoco heim? Seu e da sua mãe também. Ainda bem que deu tudo certo e hoje você pode estar aqui com a gente.
um beijo

Isa Mar disse...

Amiga, gostei muuito de ler o teu relato, emocionante!
E assim como lutou pra nascer também sabe lutar pela vida, tenho certeza!
Beijos pra ti com carinho!

Marcia Morais disse...

Bom Dia minha querida vim lhe agradecer graças a você completei 400 seguidores venho deixar te um beijo obrigada por me seguir ja te sigo !

Luma Rosa disse...

Socorro, encontrou uma forma muito interativa de contar o seu nascimento, através de uma crônica - primeiro capítulo de sua vida!
Fiquei pensando como era difícil ter filhos com parteiras, mesmo sendo elas experientes e ter que procurar um médico na hora "H" - uma corrida em prol da vida!!
Passando somente agora para visitar os participantes da blogagem coletiva "Fases da vida" e aprendendo muito! Muito mesmo!!
Beijus,

Tati disse...

Socorro, adorei! Um ponto de vista diferente, uterino, muito bom!
Que bom que tudo deu certo, que a santa ouviu as preces da vovó Josefa e você está aqui! A sorte é nossa!
Beijos.