Pegadas de Jesus

Pegadas de Jesus

quinta-feira, 19 de maio de 2011

NÓS PODEMOS MAIS



Imagem do Google
  
   Uma das características da maturidade, bastante positiva, é nos conhecermos melhor. Às vezes passamos tantos anos de nossas vidas, agindo de determinadas formas, e nem nos damos conta disso, mas, em determinado momento, começamos a nos analisar, e vamos percebendo as nossas atitudes. Infelizmente, essas descobertas, nem sempre nos deixa satisfeitos.
   Eu tenho uma forma esquisita de encarar situações novas, que vão exigir esforços de minha parte, seja para executar alguma coisa, resolver um problema, ou simplesmente dizer um não. Meu estado emocional muda completamente, quando me deparo com o novo. Fico alterada, ansiosa, nervosa, e falo pelos cotovelos... Como se essa reação, tivesse de alguma forma, o poder de mudar o rumo das coisas. Não muda nada, a não ser o meu humor, que fica péssimo e o meu astral.
   Entendo que isso é uma resistência, contra aquilo que se opõe a ordem estabelecida, uma auto defesa...
   Todavia, essa reação é momentânea, e não me impede de tomar decisões, de fazer o que tem que ser feito, ou de dizer um não, quando necessário. Mas, não deixa de ser desconfortável, e de despender uma grande quantidade de energia.
   Por que resistimos tanto ao novo? Sei que o desconhecido, justamente por ser assim, causa um grande impacto, nos tira do conforto, mas, decerto é importante que saibamos acolher as mudanças, as novidades, que nos mostrarão outros horizontes, outros caminhos, e que alargarão as nossas mentes, com as novas experiências e aprendizados.
   Temos, salvo algumas exceções, não sei se mania, de achar que existe uma linha até onde podemos ir, e que a partir dali, não nos compete. Entretanto, é possível fazermos mais do que aquilo que fazemos... Como já dizia o saudoso Raul Seixas, nós podemos mais! Medo de que? Por quê? Não existe linha que nos delimite, nenhuma, e podemos avançar o quanto quisermos. Se os outros podem, por que não podemos?      
   Nós podemos sim, só depende do objetivo, da garra, da perseverança, da busca pela conquista dos nossos sonhos, ou empreendimentos, e da paixão que colocamos nesse querer. Sem paixão, não haverá, sequer, a partida, muito menos a chegada.
   Talvez essa minha resistência, seja o momento de avaliar - um tanto grotesco eu sei, precisando de uma lapidação - a novidade, para daí, arregaçar as mangas e colocar a mão na massa, pois que não me impede, nem me bloqueia, para agir e realizar.
   Tenho aprendido que querer é poder, não o querer absurdo, mas aquele que tem bases sólidas, construídas na labuta do dia a dia.
   E creio que é disso que o Evangelho de Jesus Cristo nos fala, quando diz que: a fé remove montanhas...
   È preciso que acreditemos, e façamos a nossa parte, otimizemos, e o resultado há seu tempo se dará. 
   Nós podemos sim, muito mais do que imaginamos, e essa força encontra-se dentro de nós mesmos, é só acioná-la. Ousemos.

13 comentários:

Daniele O disse...

Oi!
O novo sempre assusta, nos tira da nossa zona de conforto, nos faz repensar e perceber muitas vezes que devemos trilhar por outros lugares.
É mais normal do que se imagina essas reações quando algo muda em nossa vida.
Eu estou indo para o novo, mas tenho que manter o equilíbrio, pois senão acabo perdendo a direção!
Um forte abraço!
Ser Estranho Ser!

Manuela Freitas disse...

Gostei bastante desta tua reflexão querida amiga, eu também sou do género! Estou aempre em busca do novo, mas depois fico receosa e debato-me em dilemas!
Beijos,
Manu

✿ chica disse...

Basta saber disso e ter a força naecssária pra usar todinha e bem!beijos,chica

manuel marques disse...

Muito bom texto,grato pela partilha.

Abraço.

Néia Lambert disse...

O novo a mim também causa um friozinho na barriga, mas também tenho aprendido ao longo dos meus 48 anos que quando queremos podemos melhorar em todos os aspectos.
Achei fantástico o seu texto Socorro, gosto muito de te ler.

Beijos

pensandoemfamilia disse...

Hoje escrevi algo sobre o novo e a sua importância em nossas vidas. Abrir-se para novidades é a possibilidade de descobrir sobre si mesmo.
bjs

diariodumapsi disse...

É isso aí Socorro, nós podemos muito, nós podemos mais do que pensamos que podemos.
parabéns pelo post.
Gd beijo

Nilce disse...

Também tenho medo do novo, Socorro e ainda não cosegui trabalhar isso.
Minha ansiedade me deixa muito nervosa, mas não chego a tratar mal as outras pessoas, apenas me entristeço muito na espera da minha própria decisão.
Depois vejo o quanto foi inútil, mas sempre repito em novas situações.
Não é nada fácil.
Excelente texto.

Bjs no coração!

Nilce

welze disse...

MARAVILHOSO. realmente, a fé remove montanhas. beijos e bela semana

Beth/Lilás disse...

Perfeito Socorro! Adorei ler suas reflexões, pois também me vejo assim muitas vezes em que estou diante de sair da minha 'zona de conforto', mas como você bem disse, "outros caminhos, e que alargarão as nossas mentes, com as novas experiências e aprendizados."
Adorei!
beijos grandes, cariocas

LILIANE disse...

Socorro,

fui lendo e me enxergando.
agora mesmo, estou aqui com dor de cabeça de tanta tensão.

Por mais que eu "saiba" que é só ir fazendo um pouquinho de cada vez, tem horas que as constantes exigencias da faculdade me deixam muito mal.

É resistência?
Claro...

è normal?
Não sei o que é normal ha muito tempo,né rsrs

Mas acho que tem a ver com a personalidade, com a historia de vida, com a maneira que fomos criados.

Muita cobrança na infancia gera mesmo esta dificuldade para gerenciar as coisas novas que chegam todos os dias.

Mas estou aprendendo a confiar em Jesus, ainda bem que Ele existiu por aqui na Terra (senão seria mais dificil eu entender que Ele é tão bom e generoso assim)

Tenho me fortalecido olhando para as coisas que eu já venci e deu certo,
só assim pra acalmar o coração,sabia.

nossa, estiquei a prosa.
desculpa.
mais é tão bom falar com quem a gente gosta, né.rs
beijos.



"cê viu que falta de atenção a minha? perder o moleque dentro de casa? hehehe"
valeu pela companhia. adoro.

Lúcia Bezerra de Paiva disse...

O novo, me apavora. Mas, depois que o enfrento, e vejo que não era nenhum monstro, prometo a mim, que nunca mais vou ter resistência ao novo.Ledo engano,repete-se tudo. Entanto, uma coisa é certa: já "melhorei" uns 10%..rsrs.
Ótimo texto, você falou por quase todos. É só constatar nos comentários. Conclui-se, então, que somos "normais"...

Beijos, Socorro

Elaine Barnes disse...

Me vi aqui rs... No final o resultado tem que ser aquele e percebemos que desperdiçamos um monte de energia, resistindo em algo que não podemos escapar. Adorei! Montão de bjs e abraços